PÁGINA INICIAL > ARTIGOS > Estudo de caso: é possível visualizar áreas densificadas na fáscia profunda por meio de ultrassom e elastografia?

Case study: Could ultrasound and elastography visualized densified areas inside the deep fascia?


Tuulia Luomala, PT, Mika Pihlman, PT, Jouko Heiskanen, MD, PT, Carla Stecco, MD

Resumo:

Muitas técnicas manuais descrevem alterações palpáveis no tecido subcutâneo. Muitos terapeutas manuais tem percebido rigidez no tecido e como ela se modifica após o tratamento. Não existe demonstração clara da presença de alterações específicas no tecido subcutâneo, e menos ainda de uma visualização destas alterações após terapia manual.
Neste estudo de caso foi visualizada uma alteração na fáscia profunda de um homem de 40 anos de idade com dor subaguda na região da panturrilha, por meio de elastografia e ultrassom. O ultrassom e a elastografia possibilitam a visualização do deslizamento, ecogenicidade e elasticidade da fáscia profunda e suas alterações, após terapia manual (Manipulação Fascial).
Este estudo sugere o possível uso do ultrassom e elastografia para fornecer uma imagem mais objetiva das "sensações" que são comumente relatadas por terapeutas manuais, e nas quais se baseiam os médicos para o diagnóstico da dor miofascial.

Fonte: Journal of Bodywork and Movement Therapies. 2014 Jul; 18(3): 462-8.





Veja mais artigos